Um certo tipo de milagre.

Após não sei quanto tempo, atualizei o Riverside com…

Uma pequena homenagem que faço a todos que – inadvertidamente – admiro. Espero que vocês saibam disso, até porque não seria indelicado o bastante para citar nomes ;)

Diferença
por Wagner Artur

Ele nunca quis ser quem é, e o que é, o é sem esforço. Começou meio sem jeito, como quem não quer nada. Um dia não mais. Quem sabia dizer o motivo? Nem ele nem ninguém. Começou assim, um ser inconsequente, sendo só o que bastava, sem ser nada pra amanhã. Sabia só o ontem. Seguiu assim o quanto pôde. Sei que outro dia já era outro, e uma vez percebido, não era mais o mesmo. O que houve não sei, já disse, só sei que foi sem querer. Como sei? Sei de conhecer. Sei que se é e se muda, se cresce, se morre e se vive. Eu sei das coisas, te digo. Sei que nada mudou. Todo mundo vê. Mas sei que tudo mudou, e sei que todo mundo sente. Não sei se ele sabe o que eu sei, mas quem disse que faz diferença? Não há canhões ou cavalarias que façam alguma, por quê faria alguma eu simplesmente saber? Se perguntam como pôde, até esperavam que fosse outra coisa, mais às suas vistas, mais à maneira simples que todo mundo sabe como se faz. Mas às vezes eu penso que ele não tinha mesmo escolha. Ser assim, de um jeito que não o é, não é tarefa pra ser humano algum. Personagens trocam de máscaras enquanto dançam em um balé de cores e luz, mas a eles só é dada uma cena, enquanto ao ser é conferido toda uma eternidade pra sê-lo sem jamais esquecer-se quem é e sempre se perguntar até onde poderia ser. Ou talvez seja este o cálice dos ambiciosos. E que bebam a parte que lhes cabe. Assim, é muito mais simples pra uma personagem que mude e fique imortalizada como uma mudança eterna, que segue sempre aquele simplório riscado toda vez que é cantada. Mas ao ser humano não. O sentido é orgânico. O simples acidente de ser é mais denso, imprevisível, incompreensível. E nos assusta quando nos foge à razão. Acho que por isso o admiro. Quando é, o que sempre é, o que jamais deixou de ser, onde sempre quisermos chegar, se faz maior que o simples sentido do ser, que o tempo, que nosso sonho, se torna igual a mim e a você, ao mesmo tempo em que se perde no tempo como uma boa história de contar.

Eterno. Sem esforço.

Anúncios

Sobre Wagner Artur Cabral

filosofia política e futebol
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s