PVP – Papo vendido padrão

Mais um modelo se foi. E o MONU 2006, saiu da vida pra virar história.

Existem certas verdades que são incontornáveis. Você pode tentar driblar o quanto quiser, no final ela volta. Um exemplo destas é a presunção que você acha que sabe de alguma coisa. No caso, a verdade não é que você saiba de coisa alguma, mas que essa idéia é, nada mais nada menos, uma presunção. Se você eventualmente for levado a mudar de opinião, não se preocupe, indícios coletados pelo MIT apontam pro contrário. Outros exemplos poderiam abranger atos de teimosia e irredutibilidade inútil, mas não vamos divagar neste mar.

Mais uma vez vez eu me deparo com a realidade que e situações como essa, eu sou um peixe dentro dàgua, e tudo mais faz sentido.

É uma espécie de realização, um misto de agrado e espanto.

Profundo, né? Tecnológicamente sensível, eu diria…

Anúncios

Sobre Wagner Artur Cabral

filosofia política e futebol
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para PVP – Papo vendido padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s