Justificando a ausência

Søren Kierkegaard’s existential identification with the story of Abraham in Genesis 22 is well known. In 1852, Kierkegaard imagined himself waking one morning to the thought: ‘What you are experiencing is similar to the story of Abraham’, only to add almost in the same breath: ‘But he did not understand Abraham or himself’. The correct rhetorical name for this uncanny act of identification, which attributes the incomprehensibility of the present to something in the distant past, is metalepsis.

The Poetics of Distance: Kierkegaard’s Abraham
Chris Danta

Felizmente o presente já é perfeitamente compreensível, não precisamos mais perder tempo :)

Anúncios

Sobre Wagner Artur Cabral

filosofia política e futebol
Esse post foi publicado em Persianas e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Justificando a ausência

  1. Vitor disse:

    Olhaí, aprendi uma coisa nova.

    Mas será que agora eu consigo comentar aqui sem dar erro?

    Suspense… clico em “Enviar”.

  2. AnaLee disse:

    droga, meu inglês é meia-boca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s