Da ausencia das musas

Repasso adiante uma reflexao interessante, retirado daqui:

da ausência das musas

A musa da minha adolescência foi Lidia Brondi, de quem já falei aqui. Mas depois que ela abandonou a carreira artística (provando que tinha mesmo vocação para musa) fiquei órfão de mulheres com algo a mais. Não falo de minhas namoradas, que foram e sempre serão musas eternas. Falo das musas geracionais. Onde estão? Para onde foram?
Quando assisti Benjamin pela primeira vez, vibrei: Cleo Pires prometia preencher o vazio deixado pelas grandes musas. Tinha o ar blasé e a sensualidade que faltava a todas as outras. Mas depois deixou de desprezar os holofotes, aceitou o convite para a novela das oito e se rendeu à fama e ao falso glamour. Seu crime: ter perdido o ar melancólico carregado de mistério e promessas sexuais. Não pode ser musa quem faz propaganda de celular, ora essa.
Musas estão em falta. Diante do festival de mulheres gostosas e perfeitas que pululam na mídia e na publicidade, as musas ficaram ofuscadas. O charme deu espaço ao fio-dental. E não se mede mais a beleza de uma mulher pelo olhar oblíquo e dissimulado que pode conter seus olhos de ressaca.
Minhas musas tinham olheiras de quem passa madrugadas escrevendo ou fazendo amor. As beldades de hoje são monumentos talhados nas academias de ginástica e despertam em nós os instintos mais primitivos (gracias Bob Jeff). Mas, antíteses da musa que são, têm a profundidade de um aquário.
E, porque são fúteis e nunca ficam tristes, não podem ser musas. Porque as musas não são apenas bonitas, mas possuem um certo encanto que não está apenas no plano do visível. A musa pode até ser uma assassina, mas nunca poderá ser apática ou ter a temperatura do chá que é servido na ABL. Ela tem de ter lábios e olhos quentes, ainda que o coração seja frio como um filme de Godard.
Musas devem ter, por exemplo, um jeito de olhar como o da soprano russa Anna Netrebko (essa beleza da foto acima). Não entendo porra nenhuma de canto lírico. Não importa. Deixe a ópera para lá diante dessas fotos.

Em um mundo sem musas, ainda há ilusoes? Em um mundo sem ilusoes, ainda há o real?

Anúncios

Sobre Wagner Artur Cabral

filosofia política e futebol
Esse post foi publicado em Persianas. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Da ausencia das musas

  1. Cyro disse:

    E Monica Bellucci amigo? E Monica Bellucci?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s